quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Da série - CRÔNICAS DA VIDA

Oi oi amores, tudo bom?
Estava lendo alguns textos que eu fiz a algum tempo.
E confesso... me emocionei totalmente com toda essa  sensibilidade,  não estou me gabando dessa minha habilidade,  é so que  é algo bem real, aconteceu de verdade, acreditem se quiser.
Mas como nem tudo  é flores, tem um pouco de  ficção, talvez nos exageros que eu coloquei, minha vida  monótona  não  é digna de uma  crônica maravilhosa.
Boa leitura, espero tocar  vocês, da mesma forma como me tocou, ao reler isso.






Minha primeira ilusão do amor foi aos quatorze anos, eu era muito novinha, não sabia lidar com as circunstâncias, e mesmo querendo o medo de decepcionar certas pessoas me consumia.
Ele não me maltratou, não me entristeceu, apenas fomos nos separando aos poucos, os motivos, desconhecidos pela minha pessoa.
SE EU VOLTARIA ATRÁS E FARIA DIFERENTE?
Acho que um passado diferente, resultava num presente diferente.
Se eu pudesse eu não deixaria ele ir, independente de tudo, ele era gente boa, até chamava minha irmã de Cunhada, e eu achava graça, afinal a gente so deu umas ficadas.
Nada sério.
O que ganhei dele? - Hmm, alguns beijos.
Depois disso eu fiquei dura na queda, não era qualquer sorriso que me encantava, não era qualquer corpo sarado que me fazia pirar, eu deixei meu lado bobo para trás, agora eu me importava mais com as atitudes, beleza era bom, mais um caráter digno era indispensável.
Foi quando acabei de completar 16 anos que eu me apaixonei perdidamente.
Um amor meio doido, realmente doido.
Ele nem fazia ideia da minha existência, acho que nem se lembra que nos esbarramos no corredor umas três vezes.
Ele era o cara, um dos meninos mais bonitos da escola.
Sim, eu disse que beleza não era importante, mas existia tantos meninos ai, e eu só tinha olhos para ele.
As redes sociais me ajudaram nesta época, eramos inseparáveis na Internet.
Pelo menos da minha parte, ver ele online fazia meu coração bater mais rápido.
Mas com o tempo eu sabia que era só da minha parte esse amor, até uma música eu fiz, pus no YouTube.
Quem é a louca que paga mico, cantando horrivelmente e ainda posta no YouTube?
Prazer, eu mesma.
Se ele viu o vídeo? Deus queira que não.
Ele ouviu a música sim, pois eu mandei para ele, ele achou legalzinha .
E na época isso era quase como um pedido de casamento.
Hoje eu sei que legalzinha = horrível, mas sou legal e vou pegar leve.
Eu fui amadurecendo com esse amor, e aprendendo a ver o verdadeiro modo como ele me tratava, seco e arrogante, mimado e irritante.
Ele não dava a mínima para mim, e só me respondia quando não tinha nada para fazer.
Pois é chorei quando soube disso.
Foi então que eu passei a ignorar ele.
Não, ele não me mandou mensagem.
Passei a ignorar que ele estava online, deixei de visitar seu perfil, e nossa conversas foram rapidamente zeradas.
O que ganhei dele? - Noites chorando e apenas um abraço.
Depois dele eu aprendi, a ter cuidado, principalmente com os rostos bonitinhos, eles são os piores, porque nos ganham com o olhar e não com o coração.
E aprendi a pegar amizade primeiro, virar mais que amigo, ter um papo bom, analisar o caráter, para depois eu fazer a loucura de me apaixonar.
E com 18 anos eu estou vivendo uma paixonite, infelizmente, virtual.
Pois é, ele é legal, muito gente boa, interessante, bonito, tem um sotaque lindo, é gentil, honesto.
Temos uns papos bons, é ele que espero ficar online.
Ele é bom pra puxar assunto, e foi ele quem veio falar comigo primeiro.
O que foi um passo enorme, ja que antes, eu era a primeira a puxar assunto.
Com ele eu me abri, falei besteiras, fui quem eu realmente sou.
E me orgulho dele, por que ele ficou.
Escolheu  minha amizade, nossas conversas. Me escolheu.
Diz sempre que sou especial e que não sou como as outras.
Talvez sim, talvez não.
Ele é verdadeiro, me põe na realidade sempre que to pra perder o rumo, ele é bom conselheiro, ótimo amigo, ele não me decepciona, ainda não.
Com ele eu não me iludo, apenas amizade virtual e pronto.
Mas ele ja pediu pra casar comigo, sei que é brincadeira, ele voltou com a namorada.
Mas eu ja me sinto ótima, em saber que ele não me largou depois disso.
O que ganhei com ele? - Amizadona, risos, boas conversas, mas sem Abraços e sem beijos, só esperanças.
Então eu aprendi, que entre trancos e barrancos a vida vai se fazendo, as vezes mais  fácil e as vezes mais dura, mas o importante foi o aprendizado que eu tive  até aqui.


Para 

IGOR- Meu primeiro amor.

JOÃO - Minha primeira ilusão.
RODRIGO-  Meu grande amigo, independente da distância e da minha  paixão.





Então  é isso amores, espero que tenham gostado,  não me leve  tão a  sério e  também  não me ache um completa louca.
Comente ai as suas  desilusões da vida, espero que  você  também tenha aprendido algo com elas, assim como eu aprendi.

Beijo. Beijo. Tchau. Tchau.

5 comentários:

  1. Adorei.. eu acho que nunca passei por uma desilusão amorosa.. pois estou com meu noivo tem 4 anos..

    ResponderExcluir
  2. Nossa amei seu post! www.viciosdajuventude.ml

    ResponderExcluir
  3. Poxa, que história linda. Independente de ternura final feliz ou não. Faz parte do passado. O seu passado. Te fez uma pessoa forte, corajosa e decidida.
    Parabéns! E obrigada por compartilhar conosco a sua vida. ❤️❤️❤️

    ResponderExcluir
  4. Olá lindona,
    Eu simplesmente amei esse post. Lembrei de toda minha vida hahahaha com algumas coisinhas diferentes pois, sempre fui meio durona no quesito me apaixonar ou me iludir por alguém.
    Amei seu post.
    Beijos.

    www.meumundosecreto.com.br

    ResponderExcluir
  5. Nossa,vc escreve tão bem, tenho certeza de que muitas pessoas ja passaram por isso, eu por exemplo, em alguns momentos parecia que esse texto havia sido feito baseando se minha vida amorosa hahshs, parabéns e sucesso

    ResponderExcluir

Obrigada por dedicar um pouco do seu tempo, para comentar. eu fico muito grata e feliz!!!